Donadon diz foi condenado para 'atender às vozes da rua'

Exaltado, o deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO) concluiu na noite desta quarta-feira, 28, sua defesa no plenário da Câmara dos Deputados, onde ocorre a sessão que analisa seu processo de cassação. Aos gritos, Donadon disse ser inocente, acusou o Ministério Público de "invadir" a Assembleia Legislativa de Rondônia para encontrar provas contra ele e disse que o Supremo Tribunal Federal (STF) o condenou para atender "às vozes das ruas".

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 20h29

Donadon, que repetiu por duas vezes ter fobia de camburão e de algemas, disse que foi eleito por 42 mil votos e que os eleitores de Rondônia conhecem sua conduta, seu "coração" e o "ama". "A população de Rondônia me conhece", declarou. Ele afirmou ainda que "nunca" desviou "um centavo" do dinheiro da Assembleia de Rondônia e que o processo contra ele foi distorcido.

O deputado discursou por mais de 25 minutos do tempo previsto e continuou falando diante dos pedidos dos colegas para que continuasse na tribuna. Ele disse não ser justo o STF "condenar um inocente". "Pelo amor de Deus, façam Justiça", apelou Donadon, repetindo que é inocente. "Não sou ladrão, nunca roubei nada", emendou o deputado.

Tudo o que sabemos sobre:
Donadoncassaçãodefesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.