Dois mortos em queda de avião da FAB em Curitiba

Duas pessoas morreram e 14 ficaram feridas em um acidente com um avião Bandeirante C-95, da Força Aérea Brasileira, que caiu porvolta das 11h15 da manhã desta quinta-feira, a cerca de 2 quilômetros do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. As causas do acidente devem ser analisadas pela Segurança de Vôo da Aeronáutica. À tarde, a maioria dos feridos estava em observação. Apenas três ainda eram submetidos a cirurgias. "Foi terrível, foi terrível", disse Cláudio da Silva, morador da região, que passava com uma bicicleta pela BR-116, ao lado da qual o avião caiu. "Ele veio muito baixinho e eu pensei: esse avião vai cair".Segundo Silva, o aparelho bateu com a asa em uma das várias ondulações do terreno desabitado em que o avião caiu. "Só escutei o barulho". Ele afirmou ter ficado com medo de uma explosão. "Mas vi o pessoal pedindo por socorro e disse: seja o que Deus quiser."Ele chegou ao avião junto com outras duas pessoas e conseguiramretirar muitos ocupantes. "Só teve uma que infelizmente não deu para a gente salvar", lamentou. Ela estava com o rosto embaixo da turbina e enterrado na lama. "Ela não estava respirando, mas tinha pulsação ainda." O comerciante Clodoaldo Teles, que também auxiliou no resgate,disse que a tentativa inicial foi retirar os rostos de algumas vítimas,que estavam voltados para a lama. "Tínhamos dificuldade para levantar o pescoço e a cabeça de algumas delas para apoiar algum material embaixo", disse.A mulher morta no momento do acidente não tinha sido identificadaoficialmente, mas, segundo a Comunicação Social da Aeronáutica, seria a esposa do comandante da aeronave, capitão Gláucio Octaviano Guerra, de 32 anos, Cláudia Guerra, 28 anos. Familiares estariam vindo de São Paulo para identificá-la. Por volta das 17 horas, morreu o sub-comandante, tenente Toni Gonzaga de Brito, de 28 anos, que estava internado no Hospital São José dos Pinhais.Segundo as informações do Cindacta 2, o avião saiu do Campo deMarte, em São Paulo e iria para Florianópolis (SC). Ele levava trêstripulantes militares, seis outros militares e seis familiares deles,incluindo duas crianças, de 8 e 9 anos. No meio do caminho, o capitão Guerra percebeu uma pane no motor e tentou descer no Aeroporto Afonso Pena. Provavelmente o outro motor também falhou e ele tentou fazer um pouso na vegetação, mas o avião bateu com o bico no chão. A parte dianteira ficou destruída.Os ocupantes foram atendidos nos hospitais São José dos Pinhais,Angelina Caron, Cajuru, do Trabalhador e Evangélico. São eles:sub-oficial Almir Alves de Melo, 45 anos, sub-oficial Odair Silva deAlmeida, 36, sargento Gionei de Almeida Lima, 28, Lucas GuterrezCorrea, 8, sargento José Maria Ribeiro Correa, 29, Rosilene Guterrez Correa, 26, sargento Maurício Guimarães de Carvalho, 29, sargento Márcio Sanches de Queiróz, 29, capitão Gláucio Octaviano Guerra, 32, Raislana Batista Lima, 9, tenente Osmar Toshiaki, Maria Cristina Lima e duas mulheres não identificadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.