Documentos não propõem intervenção no BC, dizem petistas

Dirigentes petistas afirmaram, nesta quinta-feira, que os documentos internos do PT, que estão sendo elaborados para a próxima reunião do Diretório Nacional, têm por objetivo sugerir mudanças na política econômica e definir prioridades para um novo mandato de Lula, mas não propor uma intervenção no Banco Central."O que tem sido proposto é uma mudança na política de juros", disse o secretário-geral do PT, deputado federal Raul Pont (RS), que está no Chile em função da posse da presidente Michelle Bachelet. "Até porque não é papel do partido fazer isso (propor uma intervenção)."O secretário de Relações Internacionais da legenda, Valter Pomar, que acompanha Pont na viagem, acrescentou que os documentos elaborados pelo PT sugerem a criação de um sistema de metas combinadas para a política econômica, que além de considerar a questão inflacionária leve em conta também elementos como emprego e crescimento. "Nós propomos que, no segundo mandato (de Lula), o BC tem que ver com critério não só a taxa de juros mas também o emprego e o crescimento", disse o secretário, que figura entre os redatores dos documentos. De acordo com ele, a proposta é de que o Banco Central brasileiro siga a linha de instituições semelhantes em diversos outros países, como é o caso do FED (Federal Reserve System), nos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.