Doações caem 50% no Hemocentro do Hospital SP

O Hemocentro do Hospital São Paulo (HSP), ligado à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), está precisando de doadores. O número de voluntários caiu e os estoques estão atualmente em 50% do ideal. O Hemocentro abastece os bancos de sangue do próprio HSP, do Hospital do Rim e Hipertensão, da Maternidade Amparo Maternal e do Instituto de Oncologia Pediátrica, e faz um apelo à população para tentar normalizar o estoque. Atualmente, há cerca de 1.500 doações mensalmente, quando o ideal seriam três mil doações. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o ideal é que 5% da população doe sangue pelo menos uma vez ao ano. No Brasil, essa taxa é de apenas 2% - que representa pouco mais de três milhões de pessoas. Entre os motivos para o baixo índice de doadores, segundo pesquisas, está o desconhecimento sobre a importância do ato.Segundo relatório da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 41% das bolsas de sangue vêm de voluntários. A maior parte - 59% - é doada por pessoas que querem ajudar um parente ou amigo. A pesquisa mostra ainda um ponto importante: raramente os doadores voltam ao hemocentro depois da doação. Essa falta de regularidade provoca a inconstância nos estoques de sangue. Para minimizar esse problema, uma das saídas seria a fidelização do doador, ou seja, conscientizar a população sobre a importância da doação, criando mecanismos para que as pessoas doem sangue com regularidade.O posto de coleta do Hemocentro do Hospital São Paulo funciona na rua Botucatu, 620, Vila Clementino, na capital paulista. O atendimento é feito de segunda a sábado, das 8h às 17h. Informações: (11) 5539-2804 / 5539-7289. Condições para doarTer de 18 a 65 anos de idade; Pesar mais de 50 quilos; Ter dormido pelo menos seis horas; Não estar em jejum; Não ter ingerido bebida alcoólica antes da doação; Se mulher, não estar grávida, amamentando ou ter tido parto ou aborto há pelo menos três meses; Não estar com febre, gripe ou resfriado; Não ter recebido transfusão de sangue nos últimos 10 anos; Não ter antecedentes de Hepatite, doença de Chagas e Sífilis; Não ter comportamento de risco para AIDS: ser usuário de drogas injetáveis, ter hábitos homossexuais ou bissexuais ou ter vários parceiros sexuais; Aguardar o prazo de um ano depois de fazer tatuagem ou colocar piercing antes de doar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.