Divergência marca troca de liderança tucana na Câmara

Em uma disputa interna acirrada, a bancada do PSDB escolhe hoje o novo líder na Câmara entre os deputados paulistas Arnaldo Madeira e José Aníbal. Os dois candidatos repetem divergência existente na cúpula tucana. Aníbal é mais ligado ao ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e Madeira tem o apoio do governador de São Paulo, José Serra. Para ajudar nos votos, o secretário de Esportes do município de São Paulo, deputado licenciado Walter Feldman, deverá reassumir o seu mandato para votar em Madeira. O mesmo deverá acontecer com o secretário de Desenvolvimento Social de Minas Gerais, também deputado licenciado Custódio Mattos.No DEM, a escolha do líder será no dia 19. Há um acordo para a eleição do deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA) em substituição a Onyx Lorenzoni (RS). O PDT vai se reunir hoje para discutir ainda a data da eleição e os candidatos. Por enquanto, estão cotados o atual líder, Miro Teixeira (RJ), e os deputados Severiano Alves (BA) e Mário Heringer (MG). A bancada do PT já escolheu por aclamação ontem o deputado Maurício Rands (PE) em substituição a Luiz Sérgio (RJ). No PSOL, o líder Chico Alencar (RJ) será substituído na função pela deputada Luciana Genro (RS).Nesse início de ano legislativo, quando ocorre a maior parte da escolha dos líderes das bancadas, poucas foram as mudanças. A maior parte dos partidos decidiu manter os atuais dirigentes. No PP, o líder Mário Negromonte (BA) foi reconduzido ao cargo por unanimidade. O mesmo se repetiu com o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), que permanecerá no cargo por mais um ano. A bancada do PPS reconduziu o líder Fernando Coruja (SC) e, na do PCdoB, o deputado Renildo Calheiros (PE) deverá continuar como líder. A bancada do PR já havia anteriormente mantido o líder Luciano Castro (RR) no cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.