Distribuidora Medphacos burla vigilância

A distribuidora Medphacos Ltda continuou vendendo o gel Methyl Lens 2%, suspeito de ter causado cegueira em pacientes operados de catarata, mesmo depois que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a apreensão do produto em todo o território nacional. A Anvisa divulgou hoje nota oficial informando que fiscais descobriram que a distribuidora efetuou 12 "transações comerciais" depois da publicação da resolução 193, em 6 de fevereiro. Os fiscais que estão em Belo Horizonte investigando o caso identificaram ainda os 69 hospitais de Pernambuco, Piauí, São Paulo, Ceará, Amazonas, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná e Rio Grande do Norte que teriam adquirido o Methyl Lens 2% da distribuidora Medphacos. As vigilâncias sanitárias destes Estados irão aos 69 hospitais checar se eles realmente já deixaram de usar o gel.A Anvisa informa ainda, na nota, que há grande dificuldade em rastrear o destino e a origem de toda a produção do Methyl Lens 2%, devido a "clandestinidade da empresa Lens Surgical Oftalmologia Indústria e Comércio Importação Exportação Ltda.", fabricante do gel. A agência também revela que não recebeu de nenhum oftalmologista notificação de cegueira. O diretor-presidente da Anvisa, Claudio Maierovich, apela para que os médicos comuniquem imediatamente qualquer reação adversa pelo uso de determinado medicamento. As notificações são confidenciais, garante a Anvisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.