Distribuição de água começa em 2 dias no semi-árido

O convênio com o Exército para a distribuição de água em carros-pipa no semi-árido nordestino, no valor de R$ 8 milhões, foi publicado hoje no Diário Oficial da União. De acordo com o Exército, depois do recebimento dos recursos, a distribuição pode ser iniciada em 48 horas. Por enquanto, apenas 31 municípios poderão ser beneficiados com a água, 29 na Paraíba e 2 no Rio Grande do Norte, porque decretaram estado de calamidade pública e ele foi reconhecido pelo governo federal.Este é um requisito para receber água em carros-pipa, ação financiada com recursos extraordinários. Para a cesta básica, basta o município estar em estado de emergência, pois, de acordo com o secretário do Ministério da Integração Nacional, Wágner Bittencourt, a verba destinada para o alimento é "ordinária".A secretária nacional de Assistência Social, Wanda Engel, informou hoje que a região assolada pela seca tem prioridade nos programas do Projeto Alvorada - de combate à pobreza. Segundo ela, 10 dos 15 programas do Alvorada devem começar a funcionar até julho. Eles não envolvem dinheiro novo e seriam adotados independentemente da estiagem.Embora tenham sido destinados ao Alvorada R$ 5,6 bilhões no Orçamento deste ano, por enquanto estão disponíveis R$ 340 milhões para 615 municípios nordestinos hoje em emergência ou de calamidade pública decorrente da seca. O norte de Minas Gerais receberá R$ 71,4 milhões. Os recursos e municípios beneficiados devem aumentar, de acordo com Wanda, caso a seca se agrave.Wanda ressaltou que 96% dos municípios atingidos pela seca integram a área de ação do Alvorada e que somente 10% das famílias necessitadas dessas áreas ficam fora dos programas que atendem crianças, adolescentes e idosos.Ela disse que as famílias não contempladas e os 4% dos municípios não atendidos deverão ser beneficiados com outros programas governamentais. "Existe um conjunto de programas já pensados", afirmou. "Os órgãos que lidam com crédito, por exemplo, trabalham num plano de promoção municipal".O ministro do Desenvolvimento, Raul Jungmann, comentou que o governo se encontra em "boa situação de recursos na área social". Mas reconheceu que vai ser necessário "dinheiro novo" para enfrentar a situação. Nesta quarta-feira ele se reúne com 12 grupos de diferentes órgãos e ministérios do governo federal para discutir o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.