Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dissidentes do PMDB lançam Luiz Henrique para presidência do Senado

Segundo o próprio senador, a 'decisão é irreversível', mesmo que para isso ele tenha que disputar contra o atual presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL)

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

27 de janeiro de 2015 | 18h37

Brasília - Os dissidentes do PMDB lançaram nesta terça-feira, 27, o nome do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) como candidato à presidência do Senado. Segundo o próprio senador, a "decisão é irreversível", mesmo que para isso ele tenha que disputar contra o atual presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

"Nós estamos trabalhando a candidatura pelo PMDB, mas se nós não conseguirmos, nos apresentaremos como candidato da instituição. É uma decisão irreversível", afirmou, ao lado dos correligionários Ricardo Ferraço (ES) e Waldemir Moka (MS).

Segundo Luiz Henrique, a sua candidatura teria apoio de diversos partidos, como o PSDB, o DEM e o PDT. Ele admitiu que pretendia concorrer à presidência após uma reunião com a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), durante a qual pediu o apoio do PSB na disputa. O partido cogita lançar uma candidatura alternativa, mas não descarta apoiar o novo nome do PMDB. 

Questionado se já havia conversado com Renan, que ainda não lançou a sua candidatura à reeleição, o senador catarinense disse que iria procurá-lo nesta quarta-feira. "Vou falar amanhã. Amanhã vou pedir o voto dele", brincou.

Ele também disse que não espera receber represálias do partido por causa da sua atitude. "Eu não vou sair contra o Renan. Eu vou sair a favor do Senado e a favor das mudanças que são reclamadas nas ruas. Como dizia o doutor Ulysses: o povo quer mudanças, ou mudamos, ou seremos mudados."

O lançamento oficial da candidatura deve acontecer na próxima sexta-feira. Até lá, o grupo pretende já ter fechado uma chapa completa para a Mesa.

Desde o início do mês, o PSDB e outros partidos de oposição têm procurado os dissidentes do PMDB para fechar um acordo e lançar um candidato que tenha força para vencer e não seja só para marcar posição. O nome de Ferraço chegou a ser aventado, mas nesta terça o próprio afirmou que o grupo chegou à conclusão que o nome de Luiz Henrique seria a melhor opção. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.