Dissidência do MST volta a ocupar o Incra em Cuiabá

Militantes do Movimento dos Trabalhadores Assentados e Acampados (MTA), um grupo dissidente do MST, invadiram nesta quarta-feira, pela segunda vez em sete dias, o Incra em Cuiabá. As cerca de 400 famílias estavam acampadas em frente ao prédio desde o dia 25 de junho, quando ocorreu a primeira invasão que durou três horas. Impacientes com a atuação, o movimento afirma que as negociações só serão feitas com a presença de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Advocacia-Geral da União ou do procurador da República, Pedro Taques.Segundo Jair Rosendo, um dos coordenadores do MTA, os sem-terra cobram a desapropriação de seis fazendas localizadas em Dom Aquino, Barra do Bugre, Campo Verde e Pedra Preta. A superintendente-adjunta do Incra, Lucila Nunes Vargas, informou que os prazos estipulados na reunião da semana passada com os integrantes do movimento ainda não venceram. Segundo ela, o relatório das vistorias das áreas para desapropriação em Mato Grosso será encaminhado nesta quinta-feira a Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.