Disputas regionais são o problema da aliança com PSDB, diz Kassab

A decisão do PFL em se coligar com o PSDB na campanha presidencial, participando da chapa encabeçada pelo governador Geraldo Alckmin, não passa pela definição do prefeito de São Paulo, José Serra, em deixar a administração municipal para disputar o governo do Estado, na avaliação do vice-prefeito Gilberto Kassab. O problema não está em São Paulo, mas nos Estados onde PFL e PSDB poderão ter candidatos", disse Kassab, que participou do seminário sobre educação realizado pelos partido na capital paulista, disse que a coligação é nacional e está sendo conduzida pelo presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen. Ele disse também não ter discutido com Serra a possibilidade de o prefeito deixar o governo municipal e não quis dizer se foi iniciada uma transição para a saída de Serra. Tampouco admitiu responder se estava preparado para assumir o terceiro maior orçamento do País. "Estou preparado para continuar ajudando o prefeito José Serra. Fui eleito para vice-prefeito", disse.PesquisaSobre a pesquisa Datafolha que indicou Serra com chances de vencer a eleição estadual ainda no primeiro turno, Kassab negou que o resultado fosse determinante para o prefeito decidir se renuncia à Prefeitura e concorre ao governo estadual. "Essa decisão é de caráter pessoal do prefeito e ele não me disse absolutamente nada sobre esse tema. Não conversamos sobre isso", declarou. "O que a pesquisa mostra é o enorme reconhecimento da população paulista ao trabalho realizado por Serra à frente da Prefeitura e também quando foi ministro", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.