Disputa na cidade de SP fica com PSD e PT, diz Kassab

O PSDB não está preparando uma candidatura forte para a disputa das eleições na cidade de São Paulo, na avaliação do prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab. Ele foi eleito hoje o presidente nacional do recém-criado PSD. "Eu não vejo o PSDB preparando uma candidatura com conhecimento da cidade e conhecimento de gestão", afirmou o político, que prevê uma forte disputa entre o seu partido e o PT nas eleições municipais do ano que vem.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agência Estado

13 de agosto de 2011 | 14h12

Kassab afirmou que não há informações indicando sobre a possibilidade de o ex-governador José Serra (PSDB) ou de o senador Aloysio Nunes (PSDB) saírem como candidatos do partido às eleições de 2012. "Se fossem, teriam o nosso apoio", disse. Entre os nomes cotados para ser o candidato do PSDB na eleição municipal estão José Aníbal, Andrea Matarazzo e Bruno Covas - neto do ex-governador Mario Covas. Todos são ligados ao governador Geraldo Alckmin.

Sem citar nomes, o prefeito avaliou que os possíveis candidatos do PSDB "terão dificuldades de convencer o eleitor de que serão melhores gestores do que alguém que já está em uma gestão bem avaliada". Para Kassab, o grande adversário do PSD na capital paulista é o PT, que, nos últimos anos governou a cidade em duas oportunidades, durante a gestão da ex-prefeita Luiza Erundina, na década de 1990, e mais recentemente com senadora Marta Suplicy.

"O PT vem de duas administrações, tem uma base eleitoral que elegeu a presidente Dilma e tem o Lula como cabo eleitoral. Acredito que o PT é um adversário forte, mas vamos mostrar que a nossa administração foi melhor do que a deles", disse Kassab, ressaltando que a gestão da ex-prefeita Marta Suplicy quebrou a cidade de São Paulo. Como exemplo, citou o aumento da taxa de juros de 6% para 9% da dívida da capital paulista com a União, hoje em R$ 46 bilhões.

Hoje, a intenção de Kassab é a de lançar como candidato do PSD à prefeitura de São Paulo o atual vice-governador do Estado, Guilherme Affif, que fundou o partido junto com o prefeito. Caso essa hipótese não se confirme, o político ressaltou que as alternativas são o ex-secretário de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo Francisco Luna e o atual secretário do Verde e do Meio Ambiente da cidade de São Paulo, Eduardo Jorge. "Com certeza teremos o nosso candidato disputando o segundo turno das eleições na capital paulista", disse Kassab.

Na próxima quarta-feira, os presidentes estaduais do PSD irão se reunir em Brasília para iniciar as discussões sobre a estratégia para as eleições municipais de 2012. Kassab afirmou que a intenção da legenda é, sempre que possível, lançar candidatura própria. Porém, já está acertado que o partido irá apoiar a reeleição do atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB).

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSão PauloKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.