Disputa na Câmara deverá ter 2º turno, admitem petistas

Dois dias depois de o tucano Gustavo Fruet (PR) ter sido lançado candidato à presidência da Câmara, o PT já admitiu nesta quinta-feira que a disputa pelo comando do Casa deverá ser decidida em dois turnos. Até então certos da vitória do líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), contra o atual presidente da Câmara e candidato à reeleição, Aldo Rebelo (PCdoB), petistas reconheceram que o cenário mais provável é um segundo turno entre Chinaglia e Aldo. Ao contabilizarem as baixas sofridas com o lançamento da candidatura de Fruet, petistas acreditam ter apenas 20 votos - de um total de 65 possíveis - dentro do PSDB. Antes de Fruet, a bancada tucana votaria em bloco em Chinaglia, seguindo recomendação do líder da bancada, Jutahy Júnior (BA).Ainda que reconheçam que o lançamento de uma terceira candidatura deve levar o embate na Câmara para o segundo turno, petistas acreditam que o ingresso de Fruet no jogo rouba mais votos de Aldo do que do próprio Chinaglia.´Lavou as mãos´Com o cenário embolado, embora não admitam oficialmente, petistas também viram ontem nas declarações de Luiz Inácio Lula da Silva, dadas um dia antes, um sinal claro de que o presidente "lavou as mãos" em relação à briga na Câmara. Até então principal fiador da candidatura de Aldo à reeleição, o presidente recuou ao ver o crescimento da candidatura de Chinaglia, evitando assim trazer para dentro do Palácio do Planalto uma briga da base do governo. A situação se agravou, segundo interlocutores de Lula, com o lançamento da candidatura de Fruet. Segundo relatou um petista com trânsito no Planalto, Lula preferiu se esquivar da disputa agora para não sofrer desgaste maior com a disputa que, na visão dele, era "desnecessária" e foi fomentada pela "fome" do PT em lançar um candidato próprio.FruetAinda que nos bastidores reconheçam que dificilmente a disputa pelo comando da Câmara será resolvida em um único turno, apoiadores de Chinaglia se negaram a afirmar ontem que a entrada de Fruet na briga "acendeu a luz amarela" na campanha do petista. Deputados que integram a coordenação da campanha do líder do governo reafirmaram que Chinaglia, com ou sem Fruet, tem garantidos 300 votos. O tucano, na avaliação deles, não deverá contabilizar mais do que 30 votos no próximo dia 1º. Nas contas do PT, Chinaglia tem assegurados ao menos 80 votos no PT, 60 no PMDB, 30 no PSDB, 20 no PFL, além de outros 100 entre os partidos que integram a base do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.