Disputa na Câmara chega aos gabinetes dos deputados

A campanha pela presidência da Câmara chega nesta semana aos gabinetes dos deputados. Os dois candidatos ao cargo, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP), vão enviar cartas com suas propostas de trabalho para a Casa para os próximos dois anos e pedir os votos dos deputados. Chinaglia está consultando líderes formais e informais antes de concluir a redação final da carta. Nesta segunda, o candidato petista reúne a coordenação de sua campanha para fazer o plano trabalho para a semana.Chinaglia viajou a São Paulo na sexta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas evitou falar sobre o assunto. "A viagem que fiz não tem nada a ver com o tema (sucessão na Câmara)", limitou-se a dizer Chinaglia. Na quarta-feira, o candidato petista começa pelo Rio Grande do Sul a série de viagens que pretende fazer aos Estados até a eleição em 1º de fevereiro.Na tentativa de conquistar apoio do PMDB para a candidatura de Rebelo, o PSB e o PCdoB vão assinar nesta semana o documento propondo acordo com o PMDB nos mesmos moldes da carta do PT. No documento, os partidos pedem voto a Rebelo para presidir a Casa nos próximos dois anos e se comprometem a apoiar um candidato do PMDB na eleição seguinte para a presidência da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.