Disputa na Bahia dura 26 anos

A Raposa Serra do Sol não é o único alvo de demanda indígena no STF. Também tramita ali um processo envolvendo índios pataxós hã-hã-hãe, da Bahia. Ele aportou lá em 1982 e até hoje, passados 26 anos, aguarda solução.Trata-se da disputa por uma área de 54 mil hectares. De um lado estão os pataxós, que teriam recebido a área do governo federal em 1936; e, do outro, 396 produtores rurais, que vivem no interior da área. Também está envolvido na ação o governo da Bahia, que concedeu os títulos de propriedade aos produtores.Uma das partes mais demoradas do processo foi a citação dos 396 réus: levou dez anos. A história ainda envolve o nome do índio Galdino dos Santos, queimado vivo enquanto dormia num abrigo de ônibus, em Brasília, em 1997. Ele estava na capital federal para tratar do processo.O relator, ministro Eros Grau, deu parecer favorável aos índios. Mas o caso parou porque o ministro Carlos Alberto Menezes Direito pediu mais prazo para examiná-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.