Disputa de Olívio e Tarso racha corrente do PT

A disputa entre o governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra, e o prefeito de Porto Alegre, Tarso Genro, pela candidatura do PT gaúcho ao governo do Estado rachou até uma das principais tendências internas do partido, a Articulação de Esquerda.Um grupo liderado pelo deputado estadual Roque Grazziotin já colheu mais de 300 assinaturas para o manifesto "Um Novo Pólo de Esquerda", que propõe a substituição de Olívio Dutra por Tarso Genro "para melhorar a condução do projeto em curso". Outro, coordenado pelo deputado estadual Dionilso Marcon, quer conquistar 500 assinaturas de apoio ao governador. Neste domingo, um encontro da Articulação vai confirmar a ruptura.Grazziotin entende que, se não houver consenso, os militantes devem ser liberados para votar em quem quiserem na prévia que vai escolher o candidato do partido em 17 de março. Convicto de ter a maioria, Marcon defende que os perdedores se submetam à vontade da maioria e votem no pré-candidato que a corrente apoiar. Na prática, os perdedores vão retirar-se da Articulação.Ao mesmo tempo em que se amplia a divisão interna, a executiva estadual do partido faz uma derradeira tentativa de evitar a inscrição, marcada para a próxima sexta-feira, dos pré-candidatos às prévias.O presidente estadual do PT, David Stival, convocou uma reunião com representantes de todas as correntes e do governador e do prefeito para tentar um acordo. Como Olívio Dutra não vai desistir de seu projeto, o consenso depende da aceitação, pelo grupo de Tarso Genro, do direito a indicar o vice-governador na chapa petista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.