Disputa de facções gerou rebelião no Rio

Continua sem solução a rebelião de detentos, que teve início às 20h30 de ontem, na Casa de Custódia Moniz Sodré, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O conflito teria começado com uma contenda entre duas facções rivais - Comando Vermelho e Terceiro Comando -, na disputa pelo controle da penitenciária.Ainda não há certeza sobre o número de agentes penitenciários que estão sendo mantidos reféns. Fala-se em cinco ou seis funcionários dominados, mas familiares de presos, que dizem ter feito contato com eles por celular, afirmam que reféns são pelo menos 10.Os detentos incendiaram colchões e outros objetos inflamáveis. Armados de facas e estiletes improvisados, tomaram dois pavilhões daquela penitenciária. Eles garantem que os reféns não estão sendo molestados e que a situação está tranqüila. Mas por volta de 2h00 da madrugada foram ouvidos estampidos no interior do presídio. Ainda não se sabe que há presos portando armas de fogo ou se os disparos foram efetuados por funcionários ou policiais. Até o momento não se comenta a existência de vítimas dos tiros disparados.A Casa de Custódia está cercada por soldados dos Batalhões de Choque e de Operações Especiais, do Getam e do Corpo de Bombeiros. Autoridades estão tentando negociar o fim da rebelião e liberação dos reféns, entre elas o Coronel Reginaldo Alves de Pinho, diretor do Departamento do Sistema Penitenciário - Desipe - carioca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.