Discussão no partido continua, avisa Serra

Os governadores tucanos insistirão para que os senadores da legenda mudem de posição e votem a favor da prorrogação da CPMF. Essa indicação foi dada ontem, no Rio, pelo governador José Serra (SP). Ele admitiu, porém, que persiste a divergência entre o comando do partido, contrário à CPMF, e os governadores tucanos, que defendem a sua prorrogação.Serra frisou que os governadores - todos favoráveis à renovação do tributo - continuarão, "sem dúvida", a promover a discussão interna sobre a questão.Em Minas, o governador Aécio Neves afirmou que acredita na reabertura da negociação entre seu partido e o governo federal para aprovar a prorrogação da CPMF. Ressaltou, porém, que essa possibilidade só existirá "se o governo apresentar uma disposição clara de reformular de maneira profunda" a proposta apresentada.Aécio criticou a posição, que considera radical, da bancada tucana no Senado. Disse que não considera "nem sequer democrático" a bancada "fechar as portas a qualquer proposta". Por outro lado, Aécio cobrou "gestos" do governo, como a promessa de aumentar os recursos para a saúde a partir de 2008, o que facilitaria a reabertura da discussão no âmbito do PSDB.Mais enfático, Serra não opôs ressalvas à negociação com o governo. "Nossa obrigação é trabalhar em função do interesse público, nunca prejudicar o Brasil por causa de rivalidades e disputas políticas internas ou entre partidos", afirmou.Aécio, numa posição diversa, disse ter esperança de que o governo modifique sua posição e, com isso, favoreça um diálogo que mude o voto dos senadores tucanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.