Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Discussão entre grupos e manifestação pró-governo marcam início de protesto no Rio

Carro de som do Foro do Brasil-RJ, que não tinha presença prevista até a última sexta-feira, parou a menos de 100 metros atrás do carro do grupo Brasil Democrata

Fabio Grellet e Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2016 | 10h52

RIO - Uma discussão ao microfone envolvendo dois grupos de manifestantes e a presença de um monomotor com um faixa com os dizeres 'Não vai ter golpe!" marcaram o início dos protestos  contra o governo federal neste domingo, 13, na avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul do Rio. Não previsto até a última sexta-feira, o carro de som do Foro do Brasil-RJ parou a menos de 100 metros atrás do carro do grupo Brasil Democrata.

Os líderes do Brasil Democrata reclamaram, e representantes do outro grupo retrucaram, negando-se a mudar de posição na orla. Após cerca de cinco minutos, a discussão acabou sem que os carros se distanciassem.

O Foro do Brasil-RJ defende "intervenção militar já". No carro de som e no chão da avenida Atlântica foram espalhados cartazes de apoio à Polícia Militar e às Forças Armadas. Uma das canções tocadas pelo carro é "Pra não dizer que não falei das flores", de Geraldo Vandre, música que durante a ditadura militar (1964-1985) representava o combate aos militares.

Pouco antes de os manifestantes partirem em marcha, um monomotor levando uma faixa com a frase "Não vai ter golpe!", assinada pela Frente Brasil Popular, sobrevoou a orla de Copacabana. No segundo sobrevoo avistado pela reportagem, vários manifestantes vaiaram a aeronave. Faixas puxadas por monomotores são uma forma comum de propaganda na orla do Rio.

Concentração. A concentração na cidae começou por volta das 10h. Sob tempo nublado e calor de 30°C,  os quatro carros de som contratados para a manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Roussef (PT), estavam posicionados na avenida Atlântica, na altura do posto 5. Dezenas de pessoas passam com camisetas amarelas - a maioria da seleção brasileira de futebol -, e há aglomeração de  aproximadamente 150 pessoas. O Movimento Brasil Livre, que é um dos organizadores, estimou que o ato atrairá público maior do que em 15 de março de 2015, quando, segundo a entidade, cerca de 100 mil pessoas participaram do ato no Rio. 

Um grupo com o rosto pintado de verde e amarelo carrega faixas lançando o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) para presidente da República. Junto a esse grupo, há um jipe com um boneco vestido com roupas camufladas semelhantes às do Exército. O militar está em Brasília.

Veja o mapa das manifestações pelo Brasil

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.