Discussão da CPMF precisa ser 'racional', diz Déda

Governador do Sergipe diz que atraso na prorrogação pode afetar programas sociais

ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

11 de setembro de 2007 | 16h06

O governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), alertou hoje para a necessidade de governo e Congresso desfazerem-se da "paixão" na discussão da prorrogação da CPMF, sob o risco de afetar programas sociais estratégicos do governo. "A discussão da CPMF precisa perder um pouco de paixão e ganhar mais em racionalidade. Tanto do governo federal como do Congresso Nacional", afirmou.Ele disse que "é preciso buscar a exata medida de modo que em função de uma disputa de governo e oposição tenhamos sacrificado um programa de investimentos que pode ajudar o País a retomar o caminho do desenvolvimento". O governador alertou ainda para as possíveis conseqüências da não prorrogação do imposto. "Poderemos correr o risco de termos paralisado uma série de investimentos, ver o Orçamento ser completamente desarrumado e de ter os programas sociais estratégicos em risco", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
CPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.