Discurso do PT constrange Barbalho

O pronunciamento feito nesta terça-feira pelo líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro, pouco antes do início da discussões do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2002, provocou um clima de constrangimento na sessão do Congresso.Autorizado por sua bancada, Pinheiro disse ao presidente do Congresso, Jader Barbalho, que os deputados estavam constrangidos em participar de uma sessão presidida por um senador sobre o qual pesam 13 denúncias de corrupção.O líder cobrou de Barbalho a repetição da atitude tomada por ocasião da mobilização pela instalação de uma CPI mista para investigar casos de corrupção, e assinasse também o requerimento da CPI exclusiva do Senado que depende apenas de uma assinatura para ser criada.O presidente do Senado respondeu dizendo que o Congresso precisa aprovar rapidamente uma lei de imprensa para evitar que pessoas de bem como o presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, sejam acusadas de receber vantagens de empresários em troca de favorecimentos por parte de prefeituras administradas pelo PT.O deputado Milton Temer pediu a palavra em seguida para defender Lula. Disse que, quando houve a denúncia, o PT fez uma sindicância interna para apurá-la e convocou a imprensa para provar que se tratava de uma calúnia. Temer disse ainda que o caso de Barbalho é diferente, pois, lembrou, ele não está permitindo a instalação de uma CPI para investigá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.