Discurso de Osmar Terra na Câmara decepciona

A estréia do deputado Osmar Terra (PMDB-RS) na tribuna da Câmara foi desanimadora. Há dois meses, quando assumiu a vaga do ex-deputado Sinval Guazelli (PMDB-RS), Terra planejou fazer um discurso vigoroso, para um plenário de atentos observadores. Enfim, seria uma forma de homenagear o ex-governador, titular da vaga, condenado a uma cadeira-de-rodas depois de um enfarto. Guazelli morreu em junho. Terra ensaiou bem o discurso de 25 minutos do grande expediente. Da tribuna, anunciou: "Senhoras e senhores deputados, esse é o meu primeiro pronunciamento". No plenário, porém, não havia nem senhoras nem senhores deputados. O vazio era absoluto; o silêncio total.Na presidência, Themístocles Sampaio (PMDB-PI), único deputado presente, procurava dar-lhe apoio. Terra anunciou que falaria da pobreza do Noroeste do Rio Grande do Sul. Tal problema, segundo ele, provoca a redução de habitantes nas cidades daquela região gaúcha. Quando já tinha falado por cerca de 15 minutos, apareceram dois deputados no plenário. Clementino Coelho (PPS-PE) incomodou-se com os elogios de Terra ao programa Comunidade Solidária e pediu um aparte. Na terceira bancada, bem à esquerda, sentou-se o deputado Reinaldo Gripp (PL-RJ), que permaneceu calado. Depois da interrupção de Coelho, Terra lembrou-se de parabenizar o ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, que segundo ele, liberou cerca de R$ 50 milhões para estradas do Noroeste gaúcho, "mais do que os outros ministros, em 25 anos".Ao descer da tribuna, o deputado estreante disse que seria muito mais agradável falar para uma platéia grande. Mas lembrou que seu discurso estava sendo transmitido pela TV Câmara e sairia na "Voz do Brasil". Disse que não se intimidaria com um público grande, porque nos últimos dois anos foi o secretário-executivo do Comunidade Solidária (na hierarquia, o primeiro abaixo da presidente do conselho do programa, a primeira-dama Ruth Cardoso).Terra nasceu em Porto Alegre, mas há 25 anos mora em Santa Rosa, cidade da qual foi prefeito de 1993 a 1996. Santa Rosa, lembra ele, está encolhendo, mas é a cidade natal da apresentadora de TV Xuxa Meneguel e do goleiro Taffarel, tetracampeão do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.