Discreto, Maluf retoma campanha para governador

Sem alarde, o ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) retoma a campanha para governador de São Paulo, procurando recuperar o prestígio que o fez ser cortejado por alguns dos principais líderes políticos do País. Às voltas com denúncias de que ele e familiares mantêm contas milionárias no exterior, o pepebista tem participado apenas de encontros regionais com representantes do partido, ou de visitas a câmaras municipais. A agenda não inclui nenhum evento de grande exposição pública, ao menos por enquanto. Hoje, Maluf foi recebido, discretamente, na Câmara de Diadema, no Grande ABC (SP), por quatro dos 21 vereadores.Sem gravata e bem humorado, o ex-prefeito foi recepcionado na sala do presidente da Câmara, Manuel Eduardo Marinho (PT), mas ele não estava lá. Segundo assessores, estaria envolvido em atividades internas da legenda. Conversou com o petista pelo telefone, prometendo tratamento igualitário para todas as legendas durante a administração. Cumprimentou funcionários, tirou fotos com alguns, mas ouviu apenas um discurso de apoio.O vereador Antônio Bonfim de Mello, mais conhecido como "Titio" - recentemente expulso do PSDB por ter votado a favor da criação de uma comissão especial de investigação (CEI) sobre a administração do ex-secretário de Saúde da cidade e hoje vereador na capital paulista, Gilberto Natalini (PSDB) - prometeu apoiá-lo nas próximas eleições. "Ninguém chuta cachorro morto. Se o fazem com o senhor, é porque têm medo", disse "Titio", que cogita filiar-se ao PPB.Maluf não admite a candidatura, mas adota o discurso de quem busca votos. "Nunca disse que sou candidato, nem assumi compromisso de não ser, mas há três coisas nesse Estado que merecem prioridade, todas discutidas aqui (reunião): desemprego, violência e pedágio." O pepebista prometeu rever todos os contratos de concessão de estradas que não se restringem à construção de novos trechos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.