Dirigentes do PT pedem posição clara sobre aborto

Coordenadores estaduais da campanha de Dilma Rousseff (PT) cobraram ontem uma posição clara da candidata em relação ao aborto para encerrar a polêmica. Reunidos com o secretário-geral do PT, José Eduardo Martins Cardozo, dirigentes petistas avaliaram que Dilma precisa sair dessa "encruzilhada", mesmo se tiver de desagradar a setores do PT que pregam a legalização do aborto.

AE, Agência Estado

07 de outubro de 2010 | 08h30

"Esse não é o tema mais importante dessa campanha nem vamos dizer quem vai para o céu ou para o inferno. Não se trata de uma eleição para escolher líder religioso, mas, sim, quem vai ser presidente da República", afirmou o deputado André Vargas (PR), secretário de Comunicação do PT.

Integrante da Frente Parlamentar contra a Legalização do Aborto, Vargas provocou mal-estar entre as mulheres do PT ao escrever no Twitter que o partido não pode ser pautado por um debate de "feministas".

Cardozo lembrou que a candidata petista já se declarou contra o aborto - tratando o tema como uma questão de saúde pública - e não vai alimentar a polêmica. "Trata-se de uma discussão vazia", insistiu. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010Dilma Rousseffaborto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.