Dirigentes do PT e PSTU também são vaiados no Congresso da CUT

A abertura do 8º Congresso Nacional da CUT (Concut), na noite de hoje, na capital, foi marcada por vaias das várias correntes ligadas à central e protestos de representantes dos servidores públicos. O presidente do PSTU, José Maria, foi muito vaiado enquanto discursava pela ala ligada à CUT que apoia o governo Lula."A CUT é dos peões, não é dos dirigentes. Essa é primeira vez que vejo um trabalhador ser vaiado num congresso da CUT", reagiu José Maria no final do rápido discurso. Muitos dos manifestantes que o vaiaram gritavam que era um revide às vaias recebidas pelo ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, representante oficial da Presidência da República na abertura do evento.Um dos temas que o congresso irá abordar nos próximos dias será justamente a relação da central com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente do Conselho Nacional do Sesi, Jair Meneguelli, que presidiu a entidade por 11 anos, afirmou que uma coisa é apoiar a eleição, como foi o caso da CUT, e outra é apoiar o governo."É claro que se eu ainda fosse presidente da CUT eu teria muito mais boa vontade com o Lula do que tive com o ex-presidente Collor, por exemplo. Mas acredito que os dirigentes da Central saberão apoiar o governo no que entenderem que ele está correto e saberão também reivindicar melhores condições para os trabalhadores quando julgarem isso necessário", avaliou Meneguelli.A discussão sobre este tema, as relações da CUT com o governo, deverá ser uma das mais acaloradas do 8º Concut. Isso porque a ala mais à esquerda da central, formada por sindicatos ligados ao PSTU por exemplo, é totalmente contrária à condução de algumas medidas que o governo Lula vem adotando, como a reforma da Previdência.Por volta das 20h30 o presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoino, começou a discursar e também recebeu muitas vais do grupo de manifestantes ligados ao PSTU e aos servidores públicos federais. Num discurso bastante inflamado, Genoino tentou falar aos congressistas da CUT sobre os avanços que o governo Lula está trazendo para toda a classe trabalhadora. No final da fala de Genoino, alguns manifestantes criaram um princípio de tumulto em frente ao palco, onde ocorre a abertura do congresso, e foram contidos pelos seguranças presentes ao auditório do Anhembi. Após este início de tumulto, os organizadores do evento pediram que os protestos fossem feitos de maneira mais civilizada. Enquanto os manifestantes radicais protestavam, os congressistas ligados a ala mais moderada cantava um dos refrões da campanha que elegeu o presidente Lula. O 8º Concut reúne mais de 2.750 delegados de todo o País. Além de Berzoini, também o ministro da Reforma Agrária, Miguel Rossetto, participou a abertura do congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.