Diretório Nacional do PT aprova resolução para evitar prévias

Ideia era proibir as prévias sob o argumento de que uma guerra interna pode respingar na campanha de Dilma

Rodrigo Alvares, do estadao.com.br,

05 de março de 2010 | 15h14

O Diretório Nacional do PT aprovou na tarde desta sexta-feira, 5, uma resolução política recomendando às seções estaduais do partido que evitem prévias para a escolha de candidatos aos governos e ao Senado. De acordo com o que o deputado federal João Paulo Cunha (SP) escreveu no seu Twitter, "Aprovamos no Diretório Nacional do PT que a realização de prévias agora é inoportuna e politicamente errada. Recomendamos não realizá-las". A ideia era proibir com todas as letras as prévias sob o argumento de que uma guerra interna entre petistas pode respingar na campanha presidencial da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

 

Veja também:

linkPT-MG reafirma intenção de lançar candidatura própria

linkLula nega licença para trabalhar em campanha de Dilma

 

De acordo com o líder do PT na Câmara dos Deputados, Fernando Ferro(PE), a orientação é que os postulantes a candidatos entrem em acordo e evitem as prévias. "Quanto menos tumulto, melhor. Quem resolver ir para a disputa interna terá de arcar com o custo político disso", avisou. "Houve traumas para o partido todas as vezes em que isso aconteceu", disse. O deputado estadual Alexandre Luís César (MT), membro do diretório nacional, também defende o consenso. "Toda prévia tem um custo financeiro e político."

 

Os opositores das prévias avaliam que as disputas internas estaduais mostram divisão no partido e prejudicam a candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, a presidente. As prévias são previstas pelo estatuto do partido e o diretório nacional não pode proibi-las, mas o fato de terem sido consideradas "inoportunas" praticamente desautoriza os Estados a fazê-las.

 

O estatuto do PT determina a realização de prévia, com voto dos filiados quando houver mais de um postulante ao mesmo cargo majoritário. Trata-se de tradicional mecanismo de escolha na legenda. Mas, na tentativa de evitar embaraços para a campanha de Dilma, o Diretório Nacional do PT prega acordo entre os pré-candidatos nos encontros estaduais, que começam neste mês e devem ser esticados até junho, para a definição da política eleitoral e da tática de alianças.

 

Leia abaixo a íntegra da decisão:

 

"Resolução sobre Prévias

 

Considerando o amplo entendimento partidário e a unidade das posições políticas expressas nas deliberações do ultimo congresso do partido dos trabalhadores;

 

Considerando os desafios do processo eleitoral que se realizará este ano, e a necessidade de preservação desta unidade;

 

Considerando o disposto no artigo 135 do estatuto do partido em relação a realização de previas eleitorais sempre que houver mais de um(a) pré-candidato(a) às eleições majoritárias;

 

Considerando que é dever da direção nacional, respeitando a legalidade partidária, tomar as medidas políticas necessárias e cabíveis para evitar disputas internas que possam vir a prejudicar, em alguma medida, a defesa do nosso projeto nacional.

 

Considerando, finalmente, que os encontros estaduais são instâncias democráticas e legitimas para debater as candidaturas a cargos majoritários, criando as condições necessárias para um amplo entendimento;

 

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores resolve, respeitado o disposto no artigo 135 do nosso estatuto, por considerá-las inconvenientes e politicamente inoportunas neste momento:

 

Recomendar a não realização de previas para cargos majoritários;

 

Determinar à CEN que faça as gestões e tome as medidas necessárias para a viabilização políticas desta recomendação.

 

Brasília, 05 de março de 2010

 

Diretório Nacional do PT"

 

Com informações de Ana Conceição, da Agência Estado

Tudo o que sabemos sobre:
PTpréviasDilmaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.