Diretório do PT em SP é condenado por calote

O Partido dos Trabalhadores (PT) - diretório municipal de São Paulo - foi condenado hoje pelo juiz Paulo Alcides Amaral Salles, da 12ª Vara Cível da capital, a pagar à Argumento Produtores Associados o montante de R$ 779 mil, referente a um calote sofrido pela Argumento - agência de publicidade especializada em produzir programas de televisão - que fez a campanha vitoriosa de Luiza Erundina à prefeitura do município de São Paulo. Em sua sentença, o juiz determina que dos R$ 779 mil sejam abatidos valores comprovadamente pagos. O total será acrescido de correção monetária e juros de 0,5% ao mês.A Argumento afirma que após insistentes cobranças do valor estipulado de R$ 779 mil - reconhecido por dois instrumentos de confissão de dívida - o PT pagou de forma descontinuada apenas R$ 291 mil. O saldo remanescente, com juros e correção, gira hoje em torno de R$ 950 mil.O PT não negou a realização do trabalho efetuado pela agência de publicidade, nem impugnou o valor cobrado, embora assinalasse que a Argumento deixou de computar nos cálculos os valores já pagos. O PT pode ainda recorrer da condenação ao 1º Tribunal de Alçada Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.