Diretores do Senado eram vistos como Papai Noel, diz Heráclito

Segundo senador e 1º secretário da Casa, agora foi implantado um novo estilo e promete redução dos gastos

Luciano Coelho, , especial para O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2009 | 17h04

O primeiro secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), informou que o Senado consome R$ 2,2 bilhões com pessoal entre ativos, inativos e pensionistas, além dos terceirizados. Um terço dos servidores do Senado é terceirizado. Eram 3.500 servidores terceirizados que já foram reduzidos para 3 mil. A determinação da mesa diretora do Senado é reduzir os custos do Senado em 30% em cada contrato, sob pena de rescisão. "Queremos reduzir acima da meta estabelecida, porque planejamos reduzir R$ 50 milhões, já atingimos R$ 70 milhões, mas buscamos economizar R$ 100 milhões dos custos", afirmou Heráclito Fortes.

 

Veja também:

especialEntenda o escândalo dos cargos e benesses do Senado

linkSenado utiliza 300 atos secretos para criar cargos

 

Ele disse que isso será feito com base no estilo administrativo que está sendo implantado no Senado. Heráclito alegou que os diretores da Casa tinham em média 14 anos no cargo e já tinham vícios. "Eles eram vistos como Papais Noéis, em consequência das benesses que podiam oferecer. Agora foi implantado um novo estilo e cada um tem um estilo de administrar. Queremos mais transparência e reduzir a quantidade de funcionários, tirar os excessos para fortalecer o servidor", explicou o primeiro secretário.

 

Neste estilo, Heráclito informou que está sendo estudado a implantação do plano de cargos, carreiras e salários no Senado. Segundo ele, isso vai beneficiar os servidores de carreira e acabar com os vários penduricalhos existentes na Casa, sobretudo para o pagamento de cargos terceirizados que muitas vezes burlam a legislação.

 

Heráclito frisou que o Senado tem que passar por uma limpeza ética também. Ele afirmou que esta é a proposta da atual mesa diretora e que vem realizando, mesmo sob criticas. "Estas criticas são voltadas ao passado e nada ao presente. Estamos adotando as medidas que consideramos corretas. A nossa vida pública é limpa e transparente. Fomos submetidos a investigações e não tem indícios de malversação ou outras coisas. Eu sou blindado quanto a isso. Não temos compromissos com erros do passados e vamos fazer o que é preciso para corrigi-los", garantiu o senador.

 

O orçamento do Senado é de R$ 2,7 bilhões e todos os contratos que forem renovados serão reavaliados e será proposta uma redução em 30%. Vamos reduzir custos e valorizar o servidor, enfatizou.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadogastosHeráclito Fortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.