Diretor nega que BNDES tenha privilegiado prefeituras do PT

O diretor da área de inclusão social do BNDES, Márcio Henrique Monteiro de Castro, negou que o banco tenha privilegiado prefeituras do PT na aprovação de financiamentos este ano. ?De forma alguma houve viés partidário?, afirmou, embora reconhecendo que o PT administra 13 dos 29 municípios que, na lista oficial do banco, tiveram empréstimos aprovados nos meses de maio e junho deste ano. Segundo ele, isto pode ser explicado pelo que ocorreu nas últimas eleições municipais. ?É do partido enquanto fenômeno eleitoral, quando o PT ganhou prefeituras de cidades médias e grandes, de cidades mais bem aparelhadas. A capacidade administrativa tem a ver com a máquina que se pega. Um prefeito não tem como fazer milagre?, disse o diretor.Márcio Henrique argumentou que o grande número de operações com aprovação nos dois últimos meses se deveu a um esforço no banco para garantir a liberação de verbas para projetos antes do impedimento pela legislação eleitoral, devido à proximidade das eleições municipais. Ele assegurou, contudo, que prevaleceu, na análise dos projetos, o critério técnico. ?O banco sempre autou de forma muito técnica?, declarou. Das 29 prefeituras atendidas, pelos dados apresentados pelo diretor, além das 13 do PT constam 4 do PPS, 3 do PSB, 3 do PFL, 2 do PMDB, 2 do PTB, 1 do PSD e 1 do PSDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.