Diretor-geral da Polícia Rodoviária pede demissão

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Hélio Cardoso Derenne, entregou hoje seu pedido de exoneração do posto. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, aceitou o pedido de Derenne e nomeou interinamente para o cargo Maria Alice Nascimento Souza, atual superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Paraná.

MARCELO DE MORAES, Agência Estado

28 de março de 2011 | 18h39

Derenne não resistiu ao desgaste político que vinha sofrendo no cargo e que já tinha feito com o que o governo decidisse pela sua substituição. A gota d''água que precipitou sua queda foi reportagem exibida ontem pelo programa Fantástico, da TV Globo, mostrando ausência de fiscalização e prática de atos ilícitos nas rodovias federais, além da falta de planejamento e o mau uso de recursos públicos pela PRF, entre outros problemas.

O diretor era sustentado no posto por sua influência dentro do PMDB na região Sul, especialmente Paraná e Santa Catarina. Antes da queda, existia a chance de até mesmo sair candidato a prefeito em Balneário Camboriú. Agora, com o desgaste político, a situação fica mais complicada.

Derenne tinha resistido no posto durante os dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e conseguiu começar o governo Dilma se mantendo no cargo. A crise na Polícia Rodoviária, porém, minou sua permanência. Além desse pedido de demissão, o ministro Cardozo também exonerou o coordenador-geral de operações da PRF, inspetor Alvarez de Souza Simões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.