Diretor do SBT critica Abert

O diretor-regional do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) em Brasília, Flávio Cavalcanti Júnior, criticou, nesta quinta-feira, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert).Ele disse que a atuação da entidade é pautada pelos interesses da TV Globo e citou como exemplo a demora da Abert em lutar pela aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que permite a participação de capital estrangeiro na mídia."Em termos de televisão, a Abert é hoje a Rede Globo", afirmou Cavalcanti Júnior, durante audiência pública sobre programação de TV na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. O SBT não é ligado à entidade, da mesma forma que as Redes Record e Bandeirantes.O diretor-regional do SBT acusou a Abert de ter agido timidamente em defesa da PEC do capital estrangeiro, na época em que a matéria foi aprovada numa comissão especial da Câmara, em 1999.Isso teria ocorrido porque a Globo, segundo ele, seria então contrária ao ingresso de capital estrangeiro em jornais, revistas e emissoras de rádio e TV.Atualmente, a emissora defende a aprovação da proposta no Congresso, e a Abert tem-se empenhado diretamente para assegurar a votação da PEC, o que poderá ocorrer na semana que vem."Agora que (a Globo) está precisando de dinheiro, (a Abert) quer", disse Cavalcanti Júnior, lembrando que o SBT defende a aprovação da PEC "há três anos".O diretor da Central Globo de Comunicação, Luis Erlanger, rebateu as declarações de Cavalcanti Júnior, negando que a emissora tenha mudado de opinião. "A TV Globo sempre foi favorável à abertura ao capital estrangeiro, desde que haja mecanismos que garantam a preservação e o estímulo à produção nacional. Aliás, este sempre foi o diferencial da Rede Globo em relação às demais emissoras", disse Erlanger.À reportagem tentou contato com o presidente da Abert, Paulo Machado de Carvalho Neto, mas sua assessoria informou que ele estava viajando e não poderia ser localizado. A assessoria informou que a entidade reúne afiliadas regionais do SBT.O vice-presidente da Rede Record de Televisão, Roberto Franco, concordou com as críticas à Abert. Segundo ele, a Record foi a primeira emissora de alcance nacional a desligar-se da entidade, por não se sentir adequadamente representada.As declarações surpreenderam os deputados da Comissão de Seguridade. "Não sabia que a coisa estava nesse nível", disse o deputado Osmar Terra (PMDB-RS).O deputado Henrique Alves (PMDB-RN), relator da PEC que permite a participação de capital estrangeiro em até 30% do capital votante das empresas de comunicação, além de autorizar seu controle por pessoas jurídicas, reuniu-se, nesta quinta, com o líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro, na tentativa de vencer resistências da oposição ao projeto.Alves concordou em acrescentar no texto a exigência de que a programação e o conteúdo editorial fiquem sob controle de brasileiros. Um novo encontro com o líder petista está previsto para terça-feira. "Vou consultar a bancada", disse Pinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.