Diretor da PF e quatro assessores de Reale pedem demissão

O diretor-geral da Polícia Federal, Itanor Neves Carneiro, pediu exoneração do cargo e decidiu aposentar-se, em solidariedade ao ministro demissionário da Justiça, Miguel Reale Júnior. Mais quatro assessores de Reale Júnior também pediram exoneração de seus cargos: os secretários nacionais de Justiça, João Benedicto de Azevedo Marques, e de Segurança Pública, Cláudio Tucci; o chefe de gabinete, José Oswaldo, e o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Benedito Chiaradia.A informação foi dada hoje por Reale Júnior, que pediu demissão do cargo, ontem, por discordar da decisão do presidente Fernando Henrique Cardoso, juntamente com o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, de arquivar o pedido de intervenção federal no Espírito Santo. A decisão de pedir a intervenção foi aprovada na semana passada, numa reunião do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), sob presidência de Reale Júnior.Na oportunidade, Brindeiro concordou com a decisão. Caberia a ele pedir, em seguida, a intervenção ao Supremo Tribunal Federal. Entretanto, ontem, Brindeiro anunciou sua decisão de arquivar o pedido, depois de debater o assunto com o presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.