Diretor da ECT pode virar alvo da Comissão de Ética

O processo formal de investigação das denúncias de tráfico de influência que será aberto pela Comissão de Ética Pública contra a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra pode resultar na abertura de um novo processo, desta vez contra o diretor de Operações dos Correios, Eduardo Artur Rodrigues Silva. Ele comandou a empresa Master Top Linhas Aéreas (MTA), que segundo denúncias teria conseguido firmar contrato com a Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) com a interferência do filho da ex-ministra, Israel Guerra.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 14h36

Segundo o relator do caso na comissão, Fábio Coutinho, se houver a abertura do processo e constatada a irregularidade, Eduardo Silva poderá ser processado por infração ao Código de Conduta de Altas Autoridades, e receber como punição uma advertência ou até a recomendação de demissão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.