Diretor da Codesp discorda de Serra sobre Porto de Santos

O Diretor Comercial e de Desenvolvimento da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Fabrizio Bierdomenico, criticou nesta terça-feira a intenção do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), de estadualizar o Porto de Santos e discordou da declaração do governador, de que o porto sofre com falta de investimento e profundidade no canal. "Isso é mentira, o assoreamento não está no limite e tampouco falta investimento", disse.Segundo Bierdomenico, o governo federal investiu em três grandes projetos de infra-estrutura, a construção da avenida perimetral na margem direita, na margem esquerda (Guarujá) e a dragagem. "A perimetral da margem direita começou a ser feita em dezembro, a margem esquerda está em fase de licenciamento ambiental e a dragagem, que estava suspensa desde 2002, está sendo feita", disse. Para o diretor, o que precisa ser discutido é um modelo de gestão e não quem vai indicar o cargo.Na última segunda, Serra disse que o porto "está no limite e sofre com a falta de investimentos e assoreamento". O governador tem a intenção de desenvolver um projeto integrado de desenvolvimento do Estado, com a conclusão do trecho sul do Rodoanel, que facilitaria o acesso a Santos. Para tanto, já pediu informalmente ao governo federal a regionalização do maior porto do País. A intenção é que a direção da Autoridade Portuária de Santos (APS) fique com o Estado e as operações do porto sejam privatizadas.O Presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (SINDAPORT), Everandy Cirino dos Santos, disse que o processo de estadualização é demorado e que não resolveria os problemas do porto. "São Sebastião é estadualizado e nem por isso recebe investimentos", argumentou. Cirino também defende uma mudança na política de administração portuária. "Sou contra que a administração esteja na mão de três ou quatro partidos. Tem que mudar isso, porque todo mundo defende o partido e o interesse público fica em segundo plano".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.