Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Diretor da Anvisa que participou de ato com Bolsonaro é diagnosticado com covid-19

Presença de Antonio Barra Torres em manifestação do dia 15 de março causou perplexidade em técnicos da área da Saúde

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2020 | 16h13
Atualizado 19 de maio de 2020 | 21h07

BRASÍLIA – Cerca de dois meses após participar de manifestação ao lado do presidente Jair Bolsonaro, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, foi diagnosticado com o novo coronavírus. Barra Torres anunciou que testou positivo para a doença durante participação em comissão externa da Câmara dos Deputados que trata de ações contra a covid-19, na tarde desta terça-feira, 19.

Na conversa com parlamentares, por videoconferência, o diretor da Anvisa contou que demorou alguns dias para suspeitar que poderia ter contraído o novo coronavírus. Barra Torres afirmou que só entrou em isolamento social após os sintomas persistirem e decidir consultar um médico. Antes disso, ele manteve compromissos presenciais com autoridades, assim como tem ocorrido no restante do governo.

Há duas semanas, período de possível incubação da doença, o diretor teve encontros na sede da Anvisa, segundo a sua agenda oficial. Entre eles, consta a presença de parlamentares como o presidente do MDB, o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), e o ex-deputado Mauro Pereira (MDB-RS). No dia 6 de maio, Barra Torres também participou de reunião no Ministério da Casa Civil, no Palácio do Planalto.

“Na semana passada apresentei sintomas gerais que inicialmente não me fizeram suspeitar da covid-19, entretanto, devido à intensidade e persistência (dos sintomas), passei por consulta médica e o diagnóstico, naquela época hipotético, foi lançado. Entrei em isolamento social, conforme prescrição médica. Efetuadas as testagens, na última sexta eu tive o resultado positivo pelo RT-PCR para a covid-19”, disse o diretor da Anvisa na reunião da Câmara.

Barra Torres ponderou que os seus sintomas ainda permitem que possa trabalhar e que permanecerá à frente da Anvisa. “Assim, prossigo na condução dos trabalhos da agência e da diretoria colegiada”, declarou aos deputados.

Em nota, a assessoria de imprensa afirmou que Barra Torres cumpriu expediente na sede da instituição até 6 de maio, data em que também teve encontro no Planalto. “Cumpre esclarecer que o último dia em que o Diretor-Presidente Substituto da Anvisa, Antonio Barra Torres cumpriu expediente presencial na Agência, foi 06 de Maio, quando não apresentava sinais, sintomas ou suspeição de qualquer doença”, diz o texto.

Estadão Notícias: Brasil está à deriva em meio à pandemia?

No dia 15 de março, Bolsonaro descumpriu recomendações de isolamento social durante a pandemia e, acompanhado de Torres, participou de um protesto em frente ao Palácio do Planalto. Na ocasião, o presidente fez selfies com o rosto colado e tocou nas mãos das pessoas. Em alguns momentos da transmissão do encontro, Barra Torres aparece filmando os cumprimentos entre Bolsonaro e os apoiadores presentes.

A presença do diretor da Anvisa na manifestação causou perplexidade em técnicos da área da Saúde do governo. Para eles, a ida de Bolsonaro ao ato acompanhado de Barra tira crédito da campanha de prevenção que vinha sendo feita e confunde a população.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.