Diretor cai após fazer dossiê

Exatos 30 dias depois da queda do diretor geral do Senado, Agaciel Maia, a crise institucional que atinge a Casa fez ontem nova vítima: Carlos Roberto Muniz, o Carlinhos, diretor da Secretaria de Telecomunicações. Ele foi exonerado pelo primeiro-secretário, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), depois de ter preparado um dossiê sobre as despesas dos senadores com telefonia.O levantamento irritou Heráclito, ele próprio citado no documento. Mas a assessoria de imprensa do senador negou relação entre a exoneração e o dossiê.Por ser funcionário de carreira, Carlinhos perderá apenas o posto de diretor. Ele era homem de confiança de Agaciel. No mês passado, o senador Tião Viana (PT-AC) teve de dar explicações sobre o celular do Senado que emprestou à filha, em janeiro, durante uma viagem de férias ao México. O petista atribuiu aos aliados do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), o vazamento da informação.Segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), em 2008 o Senado gastou R$ 18 milhões em serviços de telecomunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.