Dirceu também quer adiar eleição

O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, deputado federal José Dirceu (SP), defendeu o adiamento da eleição para a presidência da Câmara, marcada para a quarta-feira, em razão da necessidade de apuração de denúncias de que deputados baianos teriam sido "comprados", para deixar o PFL e ingressar no PMDB. As denúncias são baseadas em fitas com gravações de conversas telefônicas de parlamentares do PFL baiano. "A eleição para a mesa da Câmara está sob suspeição, e este episódio está ficando degradante para a sociedade", disse Dirceu. O líder petista também quer que o caso e a origem das fitas sejam investigados por uma Comissão Parlamentar de Inquérito ou por uma comissão mista. Para ele, quem é contra o adiamento da eleição deve estar "temendo a investigação". Dirceu também criticou a tese de que alterar a data em função da apuração das denúncias seja inconsticuional. "Elas já estavam marcadas para o dia 1º de fevereiro e foram para o dia 14", disse. "O casuísmo está imperando porque querem vencer no tapetão", completou. Dirceu lembrou, porém, que sua posição quanto ao adiamento do pleito na Câmara é pessoal. "A bancada do PT é que vai decidir a posição oficial do partido", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.