Dirceu responderá por crime de corrupção ativa

No quarto dia de julgamento domensalão, o Supremo Tribunal Federal acatou a denúncia doprocurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, contra oex-ministro da Casa Civil José Dirceu pelo crime de corrupçãoativa. A denúncia foi aceita por unanimidade nesta segunda-feira eDirceu terá de responder a ação penal, ficando sujeito à prisãode dois a 12 anos além de multa. Ainda nesta noite, o STF também acatou denúncia contra oex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, por corrupção ativa. A corte ainda vai examinar denúncia contra Dirceu porformação de quadrilha (um a três anos de prisão). Nasexta-feira, o plenário rejeitou a acusação de peculato feitaao ex-ministro petista. Dirceu foi acusado pelo procurador-geral de ter comprado"apoio político" de nove líderes e dirigentes de partidos daCâmara dos Deputados: PP, PL (atual PR), PTB e PMDB, queresponderão pelo crime de corrupção passiva. O advogado de Dirceu, José Luis de Oliveira Lima, queacompanha o julgamento em Brasília, reagiu à decisão. "Aprendi desde a época da faculdade que decisão judicialtem de ser respeitada e cumprida, o que não significa que euconcorde", afirmou a jornalistas. Oliveira Lima voltou a defender que não há fato que dêrespaldo à decisão do STF e que todos os envolvidos negaram aparticipação de Dirceu. A exceção, lembrou, foi o ex-deputadoRoberto Jefferson (PTB-RJ), cassado pela Câmara justamente porter acusado o petista sem provas. Jefferson terá de responder a ação penal por corrupçãopassiva e lavagem de dinheiro, em decisão tomada pela Corteantes da de Dirceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.