Dirceu rebate FHC em sua página na internet

O ex-ministro José Dirceu, principal acusado do mensalão,rebateu nesta quarta as afirmações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, faz campanha para o candidato a prefeito de São Paulo do PT, Fernando Haddad, porque "virou político profissional".

RICARDO BRANDT, Agência Estado

15 de agosto de 2012 | 20h45

"Fica ruim para o ex-presidente FHC criticar seu sucessor Lula por fazer política. Parece coisa reacionária, atrasada, preconceituosa", escreveu Dirceu nesta quarta-feira em sua página na internet. "Lula não poderia fazer (política) por que foi operário?", questiona o ex-ministro.

FHC afirmou na última segunda-feira (13) que Lula "é um político profissional". "Não era, mas virou. Político profissional tem que ser candidato, se meter em tudo, tem que opinar", disse. Após declarar que apoia José Serra na corrida sucessória na capital paulista, explicou que não participa ativamente de campanhas eleitorais, pois não lhe cabe ser cabo eleitoral depois de ter sido presidente.

Em tom de ironia, Dirceu afirma em seu texto que Lula faz o que FHC sempre fez, "política", e compara atacando os dois ex-presidentes. "Cada um de sua forma e com seus dotes. Lula lidera o maior partido do país e tem voto. 70% dos eleitores do país declaram às pesquisas pretender votar nele para presidente em 2014."

Já Fernando Henrique, "tem seus dotes, inegáveis. Não tem voto, mas tem prestígio. Não tem partido, porque ninguém hoje comanda o seu PSDB, mas como ex-presidente da República tem liderança e legitimidade". Nas declarações feitas pelo ex-presidente Fernando Henrique, que motivaram a reação de Dirceu, ele ainda colocou em dúvida o sucesso dessa estratégia do PT de tentar transferir o prestígio de Lula para o candidato. "Se o candidato não se faz ninguém o faz. Os candidatos é que se fazem em uma ligação com a população. O resto é um pouco ilusório." Lula já gravou vídeos para a campanha de Haddad logo após ser liberado para a campanha, após tratamento contra um câncer. No texto do ex-ministro Dirceu, ele escreve que FHC "ainda" é "a maior liderança nacional do PSDB" e que segue sua "agenda própria que vai da descriminalização da maconha e drogas leves a outros pontos de igual importância e potencial de gerar polêmica".

Atuação virtual

Apontado como principal líder do mensalão, Dirceu decidiu não dar declarações públicas desde que começou o julgamento do processo, no Supremo Tribunal Federal (STF), no dia 2. Recolhido em sua casa em Vinhedo, cumpre o acordo com sua equipe jurídica e de imprensa. Pela internet, no entanto, tem opinado e participado das campanhas eleitorais do PT e disparando contra adversários.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaDirceuFHC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.