Dirceu rebate críticas de Marina à política econômica

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu utilizou seu blog para rebater as críticas de Marina Silva ao governo da presidente Dilma Rousseff. Em recentes declarações, a ex-ministra do Meio Ambiente acusou o atual governo petista de abandonar o tripé macroeconômico que marcou a condução da economia, inclusive no governo Lula, composto de metas de inflação e de superávit, além de câmbio flutuante. "Política econômica de um País não é o tripé apenas, nem muito menos câmbio e inflação. Essa parte da lição da Casa das Garças (ninho de economistas tucanos no Rio) a ex-senadora parece não ter aprendido muito bem, se é que eles sabem e a ensinaram", publicou.

ALLAN NASCIMENTO, Agência Estado

16 de outubro de 2013 | 18h50

Dirceu também reafirmou que desde que o PT assumiu o poder, em 2003, houve melhora em todos os dados socioeconômicos e que a política de inclusão social do governo Lula, elogiada por Marina, foi um instrumento para o crescimento econômico. "Marina vive a repetir velhos mantras da direita liberal", declarou. Ele acusou a agora aliada do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, de repetir "o que ouviu do mercado financeiro e seus ideólogos, dos economistas que já governaram o Brasil e não fizeram o dever de casa."

Dirceu também rebateu a crítica que Marina Silva fez, em entrevista ao Programa do Jô, à relação do governo Dilma com os partidos da base aliada no Congresso Nacional, dizendo que esses partidos chantageiam a presidente. Segundo o ex-ministro, a dupla Campos e Marina já está acenando para esses mesmos partidos, buscando a formação de alianças para a disputa presidencial do ano que vem. Ele acusou os recém-aliados de "esconderem seus problemas."

Bolsa Família

Mencionando a classificação que Marina faz da política de inclusão social dos primeiros oito anos do governo petista, considerada por ela o ponto forte da era Lula, Dirceu chamou de superficial a análise da ambientalista sobre o governo do ex-presidente Lula. Ele utilizou dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA que foram divulgados nesta terça-feira (15), para comparar o impacto do Bolsa Família na economia com outros programas de transferência de renda. "Cada R$ 1 investido no programa Bolsa Família gera um aumento de R$ 1,78 no PIB brasileiro. Esse impacto é maior que o do seguro desemprego (R$ 1 gera aumento de R$ 1,06 no PIB) e a Previdência Social (R$ 1 gera R$ 0,52)".

Dirceu ressaltou, ainda, o prêmio que o Bolsa Família recebeu da Associação Internacional da Seguridade Social, na Suíça, como reconhecimento pelos resultados apresentados no combate à desigualdade social. Anunciado nesta terça (15), o programa foi o ganhador do 1º Award for Outstanding Achievement in Social Security.

Tudo o que sabemos sobre:
MarinaDirceu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.