Dirceu reafirma importância da reforma política

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, afirmou hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a convicção de que é necessário fazer a reforma política. Dirceu disse acreditar que a reforma é de interesse dos partidos políticos. "Os partidos não podem ficar mais sem a fidelidade partidária. Precisamos de financiamento público de campanha e vamos ter de discutir a lista partidária para as eleições", afirmou Dirceu, no debate transmitido ao vivo pela TV Câmara. Além de Dirceu, participam do debate o ministro do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim e os deputados Ney Lopes (PFL-RN) e João Almeida (PSDB-BA).Segundo Dirceu, o financiamento público de campanhas eleitorais é necessário, mesmo representando "um custo razoável para a democracia". Segundo o ministro, o financiamento público vai reduzir a influência que o poder econômico exerce hoje nas eleições, dando independência aos partidos e aos mandatos. Ele admitiu que o custo de R$ 800 milhões previsto com esse financiamento público assusta a sociedade. "Nós devemos ser francos e objetivos com a opinião pública e com os eleitores", observou a esse respeito. "Gastar R$ 800 milhões é 10% do que o País acaba gastando com o sistema atual", que permite uma série de irregularidades. Segundo Dirceu, o sistema permite irregularidades e ilegalidades, criando condições para escândalos como os da CPI do Orçamento e os ocorridos no governo do ex-presidente Fernando Collor, envolvendo políticos que, muitas vezes, ainda conseguem ser novamente eleitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.