Dirceu quer Delúbio no PT, sem pena ''medieval''

Em posição oposta à do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro e deputado cassado José Dirceu defendeu no sábado a volta do ex-tesoureiro Delúbio Soares ao PT. Em entrevista ao Estado, ele afirmou que o veto eterno a Delúbio, um dos principais personagens do escândalo do mensalão, seria uma pena "medieval". Para ele, Delúbio já foi punido e sua volta não provocaria constrangimentos à candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. "Isso é uma questão pela qual ele sofreu uma punição. Foi expulso do PT, ficou três anos expulso e está respondendo na Justiça por isso."Delúbio foi desfiliado em 2005, após ter sido acusado pelo deputado cassado Roberto Jefferson (PTB-RJ) de operar um esquema de recursos de campanha não declarados. Ele pede a reintegração ao PT para concorrer a deputado federal por Goiás.Dirceu compareceu ao seminário estadual da corrente petista Construindo Um Novo Brasil (CNB), em um clube do Rio. Em discurso, ele defendeu a escolha do chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, para substituir o deputado Ricardo Berzoini (PT-SP) na presidência do PT, em outubro. Destacado pelo presidente para ajudar a compor palanques estaduais para Dilma, conforme revelou o Estado na semana passada, Dirceu previu que o desafio de eleger a ministra será ainda maior que o das eleições de 2002 e 2006.

Alexandre Rodrigues, RIO, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.