Dirceu nega ligação com ex-deputado para favorecer negócios de banqueiro

O ex-ministro José Dirceu alega não ter relação com a rede de tráfico de influência que teria sido montada pelo banqueiro Daniel Dantas e lamentou que "busquem ligar" seu nome ao do ex-deputado e advogado Luiz Eduardo Greenhalgh. Em seu blog, Dirceu atacou a Polícia Federal. "Audácia e a certeza da impunidade não têm limites na PF." Ontem, o Estado revelou um encontro entre Dirceu e Greenhalgh, apontado como lobista de Dantas. A reunião, intermediada por Evanise Maria da Costa Santos, servidora da Secretaria da Administração da Presidência, seria para auxiliá-lo no trabalho de buscar apoio do governo federal. "Ao revelar um encontro de Luiz Eduardo Greenhalgh comigo, ocorrido em Brasília, tenta vinculá-lo ao Palácio do Planalto num malabarismo que só engana incautos, mas ardiloso o suficiente para criar confusão e jogar fumaça sobre o caso", disse.Dois telefonemas interceptados pela PF mostraram que Dirceu e Greenhalgh se encontraram num hangar da TAM. "Evanise é minha namorada e nessa condição foi procurada por Greenhalgh, e não como funcionária da Presidência da República, como insinua o delegado no inquérito, embora nada na conversa lhe permita chegar à essa conclusão."Segundo o ex-ministro, é uma "acusação de extrema gravidade" envolver seu nome, mesmo que supostamente, em tal situação, "já que a PF não tem nenhum indício, muito menos prova", de que Greenhalgh tenha conversado com ele sobre Dantas. "Não sou intimamente ligado" ao advogado. "Tenho relações históricas com Greenhalgh. Apesar de sermos amigos e do mesmo partido, nos últimos dois anos poucas vezes nos falamos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.