Dirceu faz comício em campanha do filho no Paraná

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, deu início neste domingo, por Cruzeiro do oeste, no noroeste do Paraná, a 570 quilômetros de Curitiba, a sua participação em comícios para eleger prefeitos do PT nas eleições deste ano. Em rápida entrevista no Aeroporto de Umuarama, cidade vizinha, deixou claro que a prioridade dele e do partido é a reeleição da prefeita Marta Suplicy em São Paulo e, no Paraná, a de Angelo Vanhoni em Curitiba. Cruzeiro do Oeste não foi escolhida por acaso. O candidato do PT é o filho de Dirceu, José Carlos Becker de Oliveira e Silva, 26 anos, que nasceu quando, fugindo da ditadura militar, morava clandestino na cidade, entre 1975 e 1979, sob o nome de Carlos Henrique Gouveia de Melo. Além disso, o ministro participou de um almoço em família para comemorar os 10 anos da neta Camila, que acompanhou o avô em todas as atividades desde sua chegada, por volta das 10 horas, até as 16 horas, quando viajou a Maringá, onde teria um encontro com empresários. Falando primeiro a candidatos a vereadores e depois em comício no centro da cidade, seguido de show de artistas da região (duas mil pessoas assistiram, segundo a Polícia Militar; cinco mil, de acordo com os organizadores), Dirceu deu o tom do que deve ser o discurso dos petistas nesta eleição: demonstração de que a herança deixada pelo governo federal anterior foi pesada, garantia de que muita coisa está sendo feita e certeza de que falta muito por fazer. Aí entra o apelo para que sejam eleitos prefeitos concatenados com o governo federal. Segundo ele, o governo Lula venceu os grandes desafios que eram o risco da volta da inflação e a iminência de quebra do Brasil. ?O País voltou a ter crédito, controlou o dólar, controlou a inflação e vai crescer, como já vem crescendo?, afirmou. O ministro insistiu, no entanto, que há muito a fazer e uma das prioridades é a melhoria da educação. ?O Brasil tem 11 milhões de jovens fora da escola média, do ensino técnico profissionalizante? lamentou. ?Não tem praticamente criança fora da escola no ensino fundamental, mas precisa melhorar a qualidade.? De acordo com ele, a média de escolaridade é de cinco a seis anos, quando o ideal seria de 12 anos. ?Vamos continuar trabalhando para melhorar o Brasil. Tem muito erro para consertar. Mas o Brasil vai melhorar, tem tudo para ser mais justo e feliz?, discursou. Embora do entusiasmo de palanque, a platéia aplaudiu somente quando Dirceu afirmou que o País precisa de mais mulheres participando da política. ?O Brasil precisa de governos municipais honestos, que ouçam a população e apliquem bem o dinheiro?, salientou. ?Se cada um fizer o dever de casa, o Brasil vai melhorar muito, Só de acabar com a corrupção e a roubalheira, o Brasil já melhorou muito.? Antes do comício, Dirceu desfilou pela cidade sobre uma camionete, seguido de cerca de 100 carros, acenando para a população, ao lado dos deputados estaduais Natálio Stica (PT), André Vargas (PT), e Nelson Garcia (PSDB). Apesar de o candidato tucano à prefeitura ser José Ivan Pinheiro, Garcia apóia o filho do ministro. ?Meu melhor partido é a competência, e a competência é Zeca Dirceu?, afirmou. Além dos dois também está na disputa pelo voto dos 14.700 eleitores da cidade o atual prefeito, Yukio Tominaga (PPS). A coligação de José Carlos Becker reúne 12 partidos. O filho de Dirceu está concorrendo pela terceira vez. Na primeira, com apenas 256 votos, não conseguiu uma vaga de vereador. Na última, os 17 mil votos não o colocaram na Câmara dos Deputados. Na chegada à cidade, Dirceu encontrou-se com vários amigos de juventude, entre eles Daniel Ferreira dos Santos, o Solerá. ?A gente jogava futebol na Associação Esporte Clube Cruzeiro?. ?O ministro era ponta direita e jogava bem.? Apesar de o município ter em sua base econômica a agropecuária, Dirceu dedicou-se ao comércio de roupas quando morou na cidade e era conhecido pelo apelido de Pedro Caroço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.