Dirceu é vaiado em encontro de petistas

O presidente licenciado do PT, José Dirceu, foi vaiado na noite desta sexta-feira durante o debate dos candidatos à presidência nacional do partido em São Paulo. A reação ocorreu quando ele defendeu para 2002 a aliança do PT com setores do PMDB de oposição ao governo Fernando Henrique, como os grupos ligados ao senador Roberto Requião (PMDB-PR) e ao governador de Minas Gerais, Itamar Franco. ?O Brasil mudou, o PT mudou muito em seis anos?, reagiu Dirceu, ante a um plenário lotado com cerca de mil pessoas.As vaias à Dirceu, vindas dos setores mais a esquerda do partido, já haviam ocorrido num debate realizado em Porto Alegre, no mês passado. Os candidatos com discurso mais radical de oposição a Dirceu defendem a reestatização das estatais, o não pagamento de dívidas, a não adesão do Brasil à Alca, e o rompimento do acordo com o FMI.No discurso, Dirceu, que é o candidato favorito e concorre à reeleição, listou as vitórias do partido em sua gestão e a luta ao lado de movimentos sociais como a CUT e o MST. Ao prometer a participação de toda a militância no programa de governo petista para 2003, Dirceu foi aplaudido.As eleições para presidente dos diretórios nacional, estaduais e municipais do PT serão realizadas em 16 de setembro, pela primeira vez de forma direta em 4.016 municípios. Estão aptas a votar, 851 mil filiados.Além de Dirceu, são candidatos à presidência nacional o ex-prefeito de Porto Alegre, Raul Pont, o vereador de Porto Alegre José Fortunatti, o presidente do PT gaúcho, Júlio Quadros, o deputado federal mineiro Tilden Santiago e o economista Markus Sokol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.