Dirceu e Genoino não são bandidos, diz Jaques Wagner

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse nesta terça-feira que não se pode considerar "bandidos" o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino. Wagner achou "exagerada" a pena imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) aos dois petistas.

RAFAEL MORAES MOURA E TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

13 de novembro de 2012 | 18h54

Dirceu foi condenado pelo STF a 10 anos e 10 meses de prisão, além de uma multa de R$ 676 mil. Para os ministros da corte, o ex-ministro da Casa civil comandou uma quadrilha voltada para comprar apoio político ao governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Genoino, por sua vez, foi sentenciado a 6 anos e 11 meses de prisão e multa de R$ 468 mil.

"Decisão de juiz não se comenta. Eu pessoalmente acho exagerada, não reconheço eles criminosos, podem ter atuado de forma equivocada, podem ter cometido crimes se você quiser chamar assim, mas não são bandidos, não são pessoas que montaram nenhuma estrutura pra destruir o Estado, ao contrário, todos eles têm compromisso histórico com a democracia, têm um compromisso histórico com a emancipação do povo brasileiro", disse o governador da Bahia, após cerimônia no Palácio do Planalto de lançamento do Programa Mais Irrigação.

"Não estou dizendo que o fato desse compromisso lhes dá o direito de fazer qualquer coisa fora da normalidade. Não me cabe julgar os ministros do STF, eu tenho direito a ter minha opinião", afirmou Wagner.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoJaques Wagner

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.