Dirceu diz que MST e ruralistas devem se ater à legislação

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse que o governo não recebeu da bancada ruralista reclamação em relação ao tratamento dispensado ao movimento dos sem-terra. Ele disse que tanto ele quanto o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, têm conversado com os parlamentares da base ruralista que em nenhum momento condicionaram a questão agrária ao apoio às reformas. Ao ser indagado se o governo vai convidar a bancada ruralista para um encontro, mesmo depois de o grupo afirmar que não comparecerá, Dirceu afirmou que a pergunta é "completamente inócua". "Ninguém convida alguém que não quer ser convidado", afirmou. O ministro disse que os movimentos sociais e os proprietários de terra devem se ater à legislação, sem repressão. "O País tem Polícia Federal, Polícia Militar e Poder Judiciário. Precisamos desarmar os ânimos no campo. Não podem haver milícias particulares e atentados. O País tem Justiça", afirmou. Para o ministro, não há razão ou fato para as pessoas avaliarem que há uma situação de descontrole no campo. "O País está em paz." Ele disse que o governo está elaborando um plano de reforma agrária com meta de assentamento de 60 mil famílias até o final do ano.

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 14h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.