Dirceu diz que disputa com Rebelo é assunto velho

O ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, reagiu com desdémao ser indagado se continua a disputa entre ele e o ministro da coordenação política, Aldo Rebelo. "Que assunto mais velho,gente!, disse ele, ao deixar o Supremo Tribunal Federal (STF), onde assistiu a posse do ministro Eros Grau. O presidente do Senado,José Sarney, disse que não podia comentar o fato de haver disputa interna no governo. "Não posso examinar porque nãoconheço essa divisão. Só quem está governando pode saber", disse Sarney, acrescentando que "divergências sempre podemocorrer em todo lugar mas não de modo a significar ruptura". Já o líder do PT na Câmara, Arlindo Chinaglia, disse não acreditarque haja divisão no governo. Para ele, qualquer reunião que ocorra que não haja decisão final do Presidente da República éapenas uma posição dos participantes. Chinaglia considerou natural Aldo Rebelo não estar presente na reunião na casa doministro da Fazenda, Antonio Palocci, dia 19 desse mês, alegando que se tratava de uma reunião de partido e não de governo.Indagado se o vazamento das informações significa deslealdade ao ministro Aldo, o líder declarou: "Se levar ao pé da letra o quefoi enfatizado, seria deslealdade. Mas não se trata disso".Além do anfitrião Palocci e de Chinaglia, o encontro contou com a presença dos ministros José Dirceu (Casa Civil) e Luiz Gushiken(Secretaria de Comunicação do Governo), do presidente do PT, José Genoino, do presidente da Câmara, João Paulo Cunha, doslíderes do govern o na Câmara, Professor Luizinho (PT-SP), e no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), e do deputado ArlindoChinaglia, que comanda a bancada petista na Câmara. A versão oficial é que a reunião tratou dos rumos do governo e dasvotações no Congresso, mas sabe-se que a disputa de poder entre Dirceu e Rebelo ocupou parte das conversas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.