Dirceu diz que depoimentos do mensalão o inocentam

Segundo ele, interrogatórios ajudam a demonstrar a 'motivação política por trás de seu afastamento'

Clarissa Oliveira , de O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2008 | 17h36

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu afirmou nesta quarta-feira, 13, que os depoimentos prestados até agora no processo que investiga o mensalão negam seu envolvimento no caso. Segundo o deputado cassado, que responde às acusações de corrupção ativa e formação de quadrilha, os interrogatórios ajudam a demonstrar a motivação política por trás de seu afastamento do cargo de ministro e da cassação de seu mandato de deputado.  Veja também:Escândalo dos cartões é pior que mensalão, diz JeffersonAo depor sobre mensalão, Jefferson recusa delação premiada Veja quem são os 40 do mensalão  "A sucessão de depoimentos à Justiça, vários por semana, dos réus do chamado `mensalão' prova, dia-a-dia, que não cometi nenhum ato ilícito", afirmou Dirceu, em nota publicada em seu blog na internet. "Os depoimentos reafirmam a convicção que tenho e sempre transmiti: é político o processo em que me envolveram, com o propósito de me afastarem do cargo de ministro-chefe da Casa Civil e de me cassarem o mandato de deputado federal pelo que eu representava no governo do PT e do presidente Lula", completou.  Ao comentar o depoimento prestado na terça à Justiça pelo também deputado cassado Roberto Jefferson, Dirceu apontou que o presidente do PTB recusou-se a acusá-lo diretamente. No interrogatório, Jefferson evitou comentar o envolvimento de Dirceu e de outros membros do governo no caso, sob o argumento de que falava como réu e não como testemunha. Em um ponto do depoimento, disse que Dirceu "era o ministro político do governo" e que "todos os acordos tinham a chancela dele".  "Roberto Jefferson afirmou no depoimento, ontem, que eu era o ministro político do governo, que tratava comigo da aliança PTB-governo e que os acordos tinham a minha chancela. Também não fez referências associando-me ao chamado "mensalão", afirmou Dirceu, no blog.  A mesma atitude, segundo o ex-ministro, marcou o depoimento de outros réus, entre eles o publicitário Marcos Valério. "Valério confirmou que nunca teve reuniões comigo para tratar dessa história de `mensalão'", prosseguiu.  Ao encerrar a nota, Dirceu voltou dizer que confia na Justiça e que aguarda "com serenidade" o julgamento final do processo.

Tudo o que sabemos sobre:
Mensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.