Dirceu deveria aprender lições de Paulo Coelho, diz Tarso

O ex-presidente do PT, Tarso Genro, disse hoje que o ex-deputado José Dirceu deveria aprender com as lições do escritor Paulo Coelho e adotar uma postura mais tolerante na hora de ouvir o que outros petistas têm a dizer. "Acho que ele deveria ouvir mais o Paulo Coelho e aproveitar as lições de tolerância dele", ironizou Genro, ao rebater o ataque feito ontem pelo ex-deputado. Dirceu, que se hospedou na casa de Coelho no sul da França para a passagem de ano, disse que o PT é "uma página virada em sua vida" e que não pode ficar na legenda se for para ouvir o discurso de Genro e do secretário-geral Raul Pont."Acho que neste momento temos que ouvir o que as pessoas têm a dizer e não criar obstáculos ao debate", ressaltou Genro, em referência ao movimento de refundação do PT integrado por ele próprio e por Pont. "O que nós queremos é exatamente derrubar barreiras para que as pessoas possam ser ouvidas.""Depressão política"Genro disse ainda que Dirceu encontra-se em uma situação de "depressão política" e que as observações do ex-deputado representam uma síntese da postura que ele teve quando esteve na liderança do PT: "Essa postura é negativa para o momento que o partido está vivendo". Na entrevista, Dirceu disse também que os que o conhecem sabem que não tem meio-termo e que quando entra em algo é "para valer, para brigar e se impor".Assim como Genro, Pont rebateu duramente as críticas de Dirceu, alegando que o ex-deputado mostrou "quem ele é e como ele age" em suas afirmações. "Ele não quer nos ouvir mas nós o ouvimos durante dez anos", disse Pont, acrescentando que Dirceu se mostrou "incapaz de fazer uma autocrítica". "Ele deveria reconhecer que foi um dos construtores das derrotas que o PT viveu no governo."Pont disse ainda que não abre mão de dar continuidade à reconstrução do PT por meio de um debate que ofereça espaço para os pensamentos das diferentes correntes que integram a legenda. "Nós não somos tão impositivos nem tão onipotentes e queremos continuar construindo o PT com pluralidade", disse Pont.Pont disse que continuará brigando pela abertura de uma comissão de ética para avaliar petistas envolvidos nas denúncias de corrupção. "E talvez seja isso que deixa Dirceu tão irritado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.