Dirceu desafia os que o criticam por mudar de opinião

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que, na semana passada, afirmou que continua a ser tão radical quanto antes, desafiou nesta segunda-feira os que o criticam por ter mudado de posição e passado a defender a taxação dos servidores públicos inativos: "Não tenho nenhum problema de mudar de posição. E se mudei, qual o problema? Mas neste caso, a minha posição sempre foi bastante diferente da do PT, no que diz respeito aos servidores públicos".Dirceu disse que desde 1993 tem posição clara a respeito da taxação dos inativos, mas não a expôs mais abertamente porque divergia da orientação do PT - na época contra a cobrança da contribuição. "Eu era secretário-geral do partido e não era adequado falar toda a minha posição", argumentou.De acordo com pesquisa do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), na época Dirceu defendeu a adoção das mesmas regras das aposentadorias da iniciativa privada para os servidores públicos. Também foi favorável a manter a política de dar o mesmo reajuste aos servidores da ativa e aos inativos, excluídas as promoções.Nesta segunda-feira, o ministro disse que o governo será cauteloso e não vai apressar o Congresso. "Não vamos comer cru por pressa. Há tempo para discutir, para debater", garantiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.